Blog

Turismo

“Grande Brinquedo ao Ar Livre”, a roda-gigante de Lotta.

publicado por: Fernando Nascimento em

branco_50x50

rio_view_logo

O Parque do Flamengo completou 50 anos no dia 17 de outubro de 2015 com muitos motivos para se orgulhar, pois apesar de não receber a atenção, o cuidado e o carinho que merece, continua lindo e cumprindo o papel para o qual foi planejado. Entretanto, um fato que a maioria das pessoas desconhece é que, apesar de cinquentão, ele é um parque inacabado. Alguns dos equipamentos constantes da planta tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) não saíram do papel, isto é, foram projetados, mas até hoje não foram construídos. Um deles é o “Grande Brinquedo ao Ar Livre”, item nº 36 da relação anexa ao processo nº 748-T-64, que norteou o tombamento do parque.

O Grande Brinquedo ao Ar Livre é, em verdade, uma roda-gigante. Em viagem a Viena, na Áustria, Lotta se encantou com a Wiener Riesenrad, a roda-gigante mais antiga do mundo, inaugurada em 1897. Localizada em um grande parque chamado Prater, ela faz parte da paisagem da cidade há mais de 100 anos. “Você só pode dizer que conhece Viena se a tiver visto do alto da roda-gigante”, diz uma placa de boas-vindas na entrada.  

A construção suscitou muita polêmica à época. Quando o empresário vienense Gabor Steiner apresentou o projeto às autoridades municipais, um funcionário olhou para as plantas, balançou a cabeça e disse: “acha mesmo que vai encontrar alguém que lhe dê a licença para construir essa monstruosidade e assuma a responsabilidade por ela?” Apesar disso Steiner não se deixou abater, continuou tentando e finalmente recebeu permissão para construir.

Até hoje, mais de um século depois, a roda-gigante de Viena está de pé com seus vagões vermelhos, e permanece como testemunha da história da cidade e como um de seus símbolos. Se algum dia visitar Viena, sem dúvida você vai dar uma volta na roda-gigante. E quem sabe, quando estiver lá, você veja um senhor idoso contando ao netinho, no alto da roda-gigante, como ele tentou acalmar o coração que batia forte quando pediu a vovó em casamento e ela aceitou.

A experiência de andar na roda-gigante de Viena foi tão impactante para Lotta, que ela decidiu que o Parque do Flamengo deveria ter um equipamento como esse. Queria que os seus frequentadores pudessem experimentar a mesma emoção que sentira. Segundo Maria Hanna Siedlikowski, arquiteta do Grupo de Trabalho, uma grande euforia e discussão tomaram conta do barracão, quando Lotta anunciou a ideia do Grande Brinquedo ao Ar Livre, ao qual reservou um local específico para sua instalação, na planta tombada pelo IPHAN. Ela morreu e não viu seu desejo concretizado. A área escolhida para o seu brinquedo está, até hoje, vazia a espera dele.

Passados cinquenta anos, essa possibilidade novamente se apresenta com a Rio View, provocando a mesma euforia e discussão de outrora. De autoria dos arquitetos ingleses David Marks e Julia Barfield, mesmos criadores da roda de Londres, a London Eye, o projeto da roda-gigante do Parque do Flamengo é um resgate da planta original tombada, e mais um passo na concretização do grande sonho de Lotta que era ver o parque concluído para que a população o aproveitasse em sua plenitude.

Construída no distrito de Lambeth, na margem sul do famoso Tâmisa, uma área não muito valorizada da cidade, mesmo tendo o Big Ben do outro lado do rio, a Millennium Wheel (Roda do Milênio), como também é conhecida a London Eye, foi inaugurada pelo Primeiro Ministro Tony Blair nos últimos minutos de 1999, não sem antes causar polêmica.  Questionava-se a necessidade de se ter uma estrutura enorme bem no meio de Londres e se era preciso criar um novo ponto turístico em uma cidade já repleta deles. Essas contestações deixaram de existir tão logo a roda-gigante foi inaugurada. Seu enorme sucesso rapidamente a tornou um dos mais procurados pontos turísticos de Londres. Os imóveis do entorno tiveram uma grande e veloz valorização e o distrito passou a ser um dos pontos de referência da cidade.

Londres, novamente, saiu-se vitoriosa. Apesar de seus mais de dois mil anos de existência, e da tradição de valorizar e preservar seu passado, a cidade entende que nem por isso pode descartar o novo, pelo contrário, deve dialogar com ele. É uma cidade que usa a sabedoria que só os anos trazem para continuar atrativa e conservar seu charme.  Que compreende que o segredo para isso é se reinventar, não rejeitar a modernidade. Por tudo isso e muito mais, Londres é considerada uma das cidades mais modernas do planeta e continua a lançar tendências copiadas mundo afora.

Quando Lotta, nos anos 60, concebeu o parque, também suscitou variadas discussões. O projeto era diferente de tudo o que já havia sido proposto para a área. Apresentava uma modernidade ímpar para a época. Uma modernidade que muitos não entenderam e por isso a rejeitaram.  Lotta, uma mulher à frente de seu tempo, não só não desistiu como insistiu, persistiu e o tempo mostrou que estava certa. Dá para imaginar a cidade hoje sem o Parque do Flamengo?

A Rio View, assim como as de Londres, Singapura, Nanchang e Las Vegas, é uma roda-gigante de observação panorâmica, diferente das convencionais. Ao invés de gôndolas, suas grandes cabines dotadas de amplas janelas de vidro se movimentam de acordo com a rotação, sempre deixando o visitante numa posição ereta. Permitem, ainda, uma visão espetacular da cidade, com um alcance de até 40km.

O empreendimento, de capital inteiramente privado, da empresa inglesa Marks Barfield, segue o modelo já consagrado da London Eye e foi desenvolvido com base em uma série de estudos e pesquisas envolvendo os principais equipamentos turísticos do Rio de Janeiro. Números e fatos sobre o turismo carioca foram reunidos e analisados, confirmando uma demanda interminável e o incrível potencial de expansão. E potencial é o que não falta ao Parque do Flamengo, Patrimônio Mundial da Humanidade na categoria “Paisagem Cultural Urbana” e maior parque urbano do mundo à beira mar. Uma área de extrema beleza, com variada flora e fauna e que, apesar de tudo isso, é simplesmente ignorado pelo trade turístico da cidade. A construção e operação da roda-gigante vai gerar empregos, proporcionar ao parque a visibilidade merecida e a oportunidade de mostrar toda a sua potencialidade como equipamento de recreação, lazer e turismo, aumentando o fluxo de visitantes da cidade. Além disso, através de Outorga Onerosa do Direito de Construir (OODC), o parque receberá recursos que serão aplicados em manutenção, revitalização e segurança.

Novidades causam dúvidas, estranheza e temeridade, e não vai ser diferente com a roda-gigante proposta para o Parque do Flamengo. O Instituto Lotta valida todos esses sentimentos. Acredita que o melhor instrumento para sanar essa apreensão é o acesso à informação clara e precisa. Norteado por essa crença, conclama a todos os agentes envolvidos na análise do projeto Rio View que “a priori” não o rejeitem. Que o conheçam, o estudem e o discutam, pois essa é a maneira correta de se chegar a uma conclusão livre de pré-conceitos, uma conclusão que nos leve a escolher o melhor para o parque, para a cidade e para todos nós. Viena tem a Riesenrad; Londres, a London Eye; Singapura, a Singapore Flyer; Nanchang, a Star of Nanchang; e Las Vegas, a High Roller; por que não o Rio de Janeiro ter a sua Rio View?

branco_50x50

branco_50x50

rioview_13

rioview_10

rioview_12

rioview_11

Local do Grande Brinquedo ao Ar Livre

Processo IPHAN n° 748-T-64 – Tombamento do Parque
Item nº 36, Grande Brinquedo ao Ar Livre
Item nº 37, Pequeno Pavilhão para o Livro Eterno

 

WhatsApp chat Clique para WhatsApp