Marina da Glória

O projeto de revitalização da Marina da Glória, de autoria do arquiteto Eduardo Mondolfo, foi baseado em regras estabelecidas por um grupo de estudos capitaneado pelo Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH); Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público Privadas, ligada à Prefeitura do Rio; e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). As obras foram iniciadas em dezembro de 2014 e dezesseis meses depois, em 07 de abril de 2016, a marina foi reinaugurada. Tal revitalização só foi possível após a BR Marinas, proprietária de uma rede de marinas no Estado do Rio de Janeiro comprar da EBX a concessão da Marina da Glória.

Saiba Mais

branco_50x50

Uma Nova Marina

Onde antes havia uma marina obsoleta e degradada, surgiu uma nova e moderna área dedicada não só ao esporte e infraestrutura náuticas. Utilizando os conceitos atualmente aplicados nas mais modernas marinas do mundo, a nova Marina da Glória oferece espaços multifuncionais onde você encontra lojas de produtos náuticos, cursos de vela, mergulho e de aptidão náutica; além de passeios turísticos, bares, restaurantes (inclusive um de comida a quilo) e área dedicada à realização de eventos culturais. Por estar inserida dentro do Parque do Flamengo, essa esplêndida área pública de lazer à beira mar, a nova marina ainda será um ponto de apoio aos frequentadores do parque, oferecendo estrutura de banheiros e bicicletários. Um território antes restrito aos donos de barcos, agora pode ser frequentado por todos, cariocas e turistas.

O novo equipamento, com a retirada do antigo gradeamento, devolveu à população a livre circulação na área. Além disso, um pátio que antes era usado por tratores para colocar embarcações na água, agora pode ser usado como local de contemplação. Com a modificação do acesso aos píeres flutuantes, agora feito por uma única entrada, uma área de passeio antes restrita aos proprietários de barcos também foi aberta ao público. Essa promenade permite que se caminhe da marina ao aeroporto e vice-versa. A nova Marina da Glória reúne diversas qualidades e facilidades, pois está localizada próximo ao Aeroporto Santos Dumont, Museu de Arte Moderna, Monumento aos Pracinhas e do centro da cidade; em uma área belíssima e de localização privilegiada, o Parque do Flamengo.

Área total: 12.261 m²

Vagas molhadas: 415
Vagas secas: 240
Lojas: 24
Estacionamento: 510 vagas em apenas uma área, sendo 236 subterrâneas.

Obs: a Marina da Glória representa os itens n° 17 (área molhada), n° 18 (pavilhão) e o nº 49 (restaurante popular) da relação/planta em anexo ao Processo n° 748-T-64, de Tombamento do Parque.

Localização:  Avenida Infante Dom Henrique, s/n – Parque do Flamengo, Rio de Janeiro – RJ, CEP 20021-140  Tel: (21) 2555-2200

Polo Gastronômico

SOHO – Comida Japonesa

Domingo a quarta das 12h às 23h
Quinta a sábado das 12h às 24h
Telefone: +55 (21) 2237-9159
Reservas: [email protected]

Corrientes 348 – Carnes

Segunda a sábado das 12h às 24h
Domingos e feriados das 12h às 23h
Telefone: +55 (21) 2557-4027
Reservas: [email protected]

Maruru Deli – Pizzaria e Delicatessen

Aberto durante toda a semana das 8h às 22h
Telefone: +55 (21) 2225-5227
Site: www.maruru.com.br

Bota – Cucina Italiana

Segunda de 11h às 15h – Terça e Quarta de 11h às 23h.

Quinta a Sábado de 11h às 24h e Domingo de 11h às 23h.

Telefone: +55 (21) 2225-9418

E-mail: [email protected]

Site: www.botarestaurante.com.br

Restaurante Urukum

Terça a Quinta de 12h às 22h

Sexta e Sábado de 12 às 24h

Domingo de 12h às 22h

Telefone: +55 (21) 2556-1201 (21) 96500-0021

E-mail: [email protected]/[email protected]

Site: www.urukumrio.com.br

Como ficou a nova Marina da Glória

Um novo Parque e muito mais árvores

Saiu o asfalto e surgiu uma esplanada. O carioca ganhou um espaço com ciclovia, mirante, deck e muitas árvores (aproximadamente 500), todas espécimes do bioma local. O replantio e a preservação da flora ficou a cargo da Biovert Florestal e Agrícola, empresa especializada em projetos de arborização, paisagismo, manutenção de áreas públicas, podas, remoções, transplante e recomposição de áreas degradadas (através da revegetação). Tudo isso com direito a contemplar dois dos principais cartões postais da cidade e do Brasil, a Baia de Guanabara e o Pão de Açúcar.

Assim é a nova área pública da Marina da Glória projetada pelo escritório Burle Marx, responsável também pelo paisagismo do Parque do Flamengo, o que garante a total integração do novo espaço com o seu entorno. A BR Marinas doou, ainda, à Prefeitura do Rio de Janeiro, um projeto do escritório Burle Marx, para a área conhecida como Bosque dos Piqueniques, que fica fora dos limites de sua área de concessão.

A Questão Ambiental

Para que as obras fossem realizadas, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, autorizou a retirada de 298 árvores, sendo que 30 já mortas, do total de 479 catalogadas dentro do terreno da Marina. Em contrapartida a BR Marinas plantará 3.082 mudas em local determinado pela Secretaria. Além da compensação será construído um parque público em área cuja circulação era anteriormente proibida.

A BR Marinas

A BR Marinas é a maior operadora de marinas do país. Além da Marina da Glória possui quatro marinas em funcionamento em Angra dos Reis e outras duas, em construção, em Paraty e Búzios. Inaugurada em 2002, a Marina Verolme, situada em Angra dos Reis, é o maior Polo Náutico da América Latina e um dos maiores do planeta.

A empresa tem como missão oferecer hospedagem e estrutura para todos os serviços náuticos, com segurança e excelência. Atenta aos desejos dos clientes e colaboradores, e atuando sempre na preservação do meio ambiente, a BR Marinas concilia rentabilidade e sustentabilidade.

 

 


Como Chegar

Esse site é uma iniciativa do Movimento #OCUPAPARQUE mantido pelo Instituto Lotta de Cultura e Recreação.

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque


Por um parque pra chamar de seu... Participe!

Poste suas fotos do Parque do Flamengo nas redes sociais usando a hashtag #OCUPAPARQUE

O Primeiro Projeto

O projeto dos arquitetos Amaro Machado e Duarte Belo para a Marina da Glória objetivava dotar a cidade de um equipamento público, até então inexistente, voltado para a prática de atividades náuticas esportivas e de lazer da população. Respeitando os princípios estabelecidos pelo tombamento, os arquitetos conceberam uma instalação destinada à educação, à recreação e ao desenvolvimento das atividades náuticas, não se esquecendo do aparato comercial para dar suporte a essas atividades, lojas de material náutico e restaurante.

A obra, iniciada em 12 de maio de 1977, foi inaugurada pelo prefeito Marcos Tamoyo, em 10 de março de 1979. Com uma área de 105.890 m², a primeira marina pública do país tinha capacidade para 400 embarcações, pátio para barcos com 4.050 m² e custou Cr$ 201,953 milhões de cruzeiros. Possuía, além do cais nobre, dois piers de 100 m, uma rampa de acesso de 20 m de largura e 30 m de comprimento, duas áreas de estacionamento para 520 veículos e três cisternas com capacidade total de 1 milhão de litros de água doce. O prédio principal com 2.808 m² de área, contava com um minimercado, seis lojas, lanchonete, restaurante, dependências para administração e um terraço ajardinado.

Cedida pela União, sob regime de aforamento, através do Decreto nº 83.661, de 2 de julho de 1979, ao Município do Rio de Janeiro, passou a ser administrada pela Riotur, que cercou e isolou o acesso principal, impedindo a livre circulação das pessoas e permitiu construções que a descaracterizaram e a desviaram de seu objetivo inicial. Em 1996, a prefeitura assinou contrato concedendo o direito de exploração comercial da marina à Empresa Brasileira de Terraplanagem e Engenharia S/A (EBTE).

Em 1998, a empresa apresentou o anteprojeto de Revitalização da Marina da Glória com ampliação significativa da área edificada e alterações na área do terraço. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) decidiu, por unanimidade, vetar a construção em áreas não previstas no tombamento de 1965. A empresa recorreu judicialmente, ganhou a causa, e ampliou a área ocupada. Em 2005, apresentando a justificativa de que abrigaria atividades relacionadas aos Jogos Pan Americanos, que seriam realizados na cidade em 2007, um novo projeto de ampliação foi apresentado. Após uma acirrada disputa judicial as obras foram embargadas. A marina sofreu ao longo do tempo diversas alterações que a descaracterizaram, desviando-a de seu objetivo inicial e condenando-a a obsolescência.

Em 2009 a EBTE foi comprada pela empresa EBX, do empresário Eike Batista, que assumiu a concessão da marina. Em 2010 foi realizado um concurso para a elaboração de um novo projeto. O vencedor foi o arquiteto Índio da Costa, que propôs um polo turístico e de entretenimento com uma área construída de 45 mil metros quadrados. Tal proposta causou uma enorme polêmica, o que fez com que o empresário desistisse da empreitada. Porém, um ano depois, uma nova versão simplificada do antigo projeto foi apresentada, estabelecendo a ocupação de uma área de 20 mil metros quadrados. Em 2013, o conglomerado de empresas do empresário Eike Batista entrou em colapso e o projeto de revitalização não saiu do papel.

Referências:

http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/12.135/4014

http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/12.136/4048 

Periódicos

Começa no Parque do Flamengo a obra da marina. O Globo, Rio de Janeiro, 12/05/1977.

Marina em construção no aterro recupera para lazer área de 75 mil metros quadrados. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 29/08/1977.

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro – Concorência nº 43/78. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 12/10/1978.

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro – Concorência nº 07/78. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 09/12/1978.

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro – Concorência nº 01/79. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 24/01/1979.

Tamoyo abre Marina da Glória. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 10/03/1979.

Tamoyo chega de iate para inaugurar a Marina. O Fluminense, Rio de Janeiro, 12/03/1979.

Prefeitura do Rio de Janeiro – Comunicação. A Luta Democrática, Rio de Janeiro, 12/03/1979.

Marina da Glória já vai funcionar. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 12/03/1979. 

Tamoyo entrega uma marina no Flamengo e praça no Leblon. O Globo, Rio de Janeiro, 11/03/1979.

Reforma chefa à Marina. O Globo (Zona Sul), Rio de Janeiro, 12/10/1995.

Novo edital para a Marina da Glória. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 16/07/1996.

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro – Aviso de Licitação. O Globo, Rio de Janeiro, 17/07/1996.

A grande encruzilhada do PAN. O Globo, Rio de Janeiro, 15/12/2006.

IPHAN anuncia aprovação de anteprojeto da EBX. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 26/02/2013.

 

WhatsApp chat Clique para WhatsApp