Restaurante Parque do Flamengo

Inaugurado pelo prefeito Marcos Tamoyo, em 06 de março de 1979, o Rio’s Restaurante teve três projetos anteriores recusados até a execução do atual, de autoria do arquiteto Marcos Konder Netto.

O primeiro, do arquiteto Jorge Moreira, que previa a utilização das pedras da antiga murada da Avenida Beira Mar, foi descartado devido ao atraso na entrega. O segundo, a cargo do arquiteto Sergio Bernardes, não foi aprovado pelo Grupo de Trabalho, ocasionando seu afastamento da equipe, e o terceiro, do arquiteto Artur Lício Pontual, também foi abandonado.

A cerimônia de inauguração contou com a presença inesperada da famosa atriz Úrsula Andress, levada pelo playboy Jorginho Guinle. Após a inauguração o prefeito Marcos Tamoyo abriu a exposição Artexpo que reuniu pinturas dos vencedores do concurso “Rio visto daqui e dali”, promovido pela Secretaria Municipal de Turismo.

Saiba Mais

O Restaurante

O restaurante integrou-se ao processo de urbanização do parque. Konder aproveitou o terreno plano para favorecer a exploração da vista da Baía de Guanabara. Para isso, o piso foi elevado 1,20 m em relação ao nível do terreno, o que permitiu a criação de um nível semi-enterrado onde se localizam os serviços de apoio. A cozinha foi estrategicamente localizada no centro do prédio, possibilitando servir a todos os setores, sem cruzamento de circulações.

A construção, de 2.087 m² de área, é dividida em quatro ambientes: salão de banquetes, bar interno, sala para coquetéis e salão de exposições aberto ao público e tem capacidade para 400 pessoas.  Foi executada em concreto aparente com vãos de 5m x 5m, tendo como elemento marcante no conjunto, a cobertura em cascas de concreto armado, tipo abóboda de aresta, fechadas lateralmente por placas translúcidas em tom avermelhado que compõe com as vigas perimetrais, em arco batido, que delimitam as varandas, criando uma atmosfera atraente.

O prédio é circundado por varandas cobertas, com 2,5 m de largura e por um jardim de 50.000 m², projetado por Burle Marx. Custou, à época,  Cr$ 18.648.880,00 e possui estacionamento com capacidade para 200 automóveis.

A obra enfrentou dificuldades e sofreu atrasos durante sua execução, pois o terreno que foi ocupado durante muito tempo pela fábrica de tubulões do emissário submarino de Ipanema e, mais tarde, como canteiro de obras do metrô, teve o solo muito danificado, prejudicando o desenvolvimento dos trabalhos.

A exploração da concessão do restaurante ficou com a empresa Rincão Gaúcho, do industrial Orlando Ribeiro da Silva, que pagou Cr$ 12 milhões  pelo período de dez anos, com possibilidade de prorrogação por mais dez. 

Em 1998, a prefeitura abriu uma nova licitação para a concessão da exploração do restaurante, por um prazo de dez anos. A rede de churrascarias Porcão, do empresário Noedi Mosselin, composta por mais quatro restaurantes, ganhou a disputa oferecendo um aluguel mensal de R$ 35 mil e repasse de 1,5% do faturamento bruto.

Após uma reforma que durou seis meses e custou R$ 3 milhões, o espaço foi dividido em quatro ambientes: uma churrascaria rodízio, uma whiskeria, um salão de festas e uma choperia com cerveja própria fabricada no local, o restaurante foi reaberto com um novo nome, Porcão Rio’s.

Em 1999, uma nova reforma no local, não autorizada pelo IPHAN, mas permitida pela Prefeitura, foi embargada pelo órgão duas vezes. Um anexo e um novo estacionamento foram criados, sendo que a construção do estacionamento resultou na destruição de um calçadão de pedras portuguesas desenhado por Burle Marx, que foi substituído por asfalto.

Com o fim da concessão, em 2009, uma nova licitação foi aberta e o Porcão perdeu a disputa para o restaurante francês Garcia & Rodrigues, do grupo Quarteto Fantástico. Após constatada uma série de irregularidades, a licitação foi suspensa. Logo depois disso o grupo que controlava o Garcia & Rodrigues comprou a rede Porcão.

Em 2011, junto com a Porcão Gourmet, as empresas passaram a integrar a holding do grupo Brazil Foodservice Group-BFG. O prazo de concessão, concedido ao Porcão, foi prorrogado até a realização de uma nova licitação.

Em junho de 2016, o empresário gaúcho Jair Coser, ganhou a concessão para a exploração do restaurante, por um prazo de 20 anos, improrrogável. Fundador da rede de churrascarias Fogo de Chão, vendida em 2011, ao fundo americano GP Investiments, hoje é sócio majoritário da rede de restaurantes de carnes Corrientes 348, com uma filial na Marina da Glória. O novo restaurante recebeu o nome de Assador Rio’s.

Conforme estabelecido no Edital de Licitação, é expressamente vedada a terceiros a utilização da área concedida, assim como sua subconcessão. O concessionário ficou obrigado a recompor o calçamento, em pedra portuguesa, de parte da área de estacionamento; a demolir a área acrescida à edificação; a restituir as varandas suprimidas e a refazer jardineira, com o plantio das espécies indicadas; tudo isso de acordo com o projeto original “Jardins do Restaurante do Parque do Flamengo”, de autoria de Burle Marx, com a prévia apresentação e aprovação de projeto de recuperação integral da área alterada no IPHAN, que acompanhará sua execução.

Após mais de um ano de obras e um investimento de R$ 10 milhões, o novo restaurante, Assador Rio’s, que opera no sistema de rodízio e tem capacidade para receber 380 pessoas, foi inaugurado em 30 de janeiro de 2018. A próxima etapa será a criação do Lounge “Pôr do Sol Carioca”, com mesas, ombrelones e cadeiras na área externa do restaurante, cercada de árvores e de frente para a Baía de Guanabara.

Acesso

O acesso ao restaurante, de carro, é feito através de um pequeno viaduto situado logo após do Monumento a Estácio de Sá, na pista sentido Centro, que não cruza com a pista de pedestre do parque. A pé, é possível acessá-lo atravessando-se a passagem subterrânea da Avenida Rui Barbosa, pela ciclovia ou pela pista da praia.

Obs: o Restaurante Parque do Flamengo (Rio’s) é o item n° 40 da relação anexa ao Processo n° 748-T-64, de Tombamento do Parque.

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, s/nº, Parque Carlos Lacerda, Rio de Janeiro – RJ. Tel. 3090-2208.

Referência

Periódicos

A Sursan vai construir moderno restaurante no Parque do Flamengo.  O Globo, Rio de Janeiro, 08/04/1965, pag. 19.

O parque terá restaurante até o fim do ano. O Globo, Rio de Janeiro, 08/06/1966, pag. 3.

Restaurante no Atêrro terá capacidade para 500 pessoas. O Globo, Rio de Janeiro, 02/04/1969, pag. 12.

Prefeito recebe maquete do restaurante do Parque do Flamengo na segunda-feira. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 17/09/1977, pag. 6.

Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro – Comunicado. O Globo, Rio de Janeiro, 06/03/1979, pag. 9.

Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro – Concorrência 25/78. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 06/06/1978, pag. 15.

Tamoyo inaugura restaurante. Luta Democrática, Rio de Janeiro, 05/03/1979, pag. 2.

Restaurante do Parque do Flamengo. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 07/03/1979, pag. 21.

Porcão Rio’s começa a funcionar em 180 dias. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 17/07/1998, pag. 7.

Porcão na mira do IPHAN. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 28/10/1999, pag. 23.

Conde critica ações do IPHAN. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 29/10/1999, pag. 18.

De churrasco ele entende. O Globo, Rio de Janeiro, 08/02/2018, Zona Sul, pag. 22.

Como Chegar

Esse site é uma iniciativa do Movimento #OCUPAPARQUE mantido pelo Instituto Lotta de Cultura e Recreação.

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque


Por um parque pra chamar de seu... Participe!

Poste suas fotos do Parque do Flamengo nas redes sociais usando a hashtag #OCUPAPARQUE

WhatsApp chat Clique para WhatsApp