Deck Lotta de Macedo Soares | Rio Carioca

A história do rio Carioca se confunde com a própria história da Cidade, de sua organização sócio-espacial e na relação dos seus habitantes com os ecossistemas localizados em áreas urbanas. Enquanto primeiro manancial superficial utilizado, foi palco de grandes lutas pelo aproveitamento de suas águas. A fim de viabilizar a utilização de sua águas pela população, foi construída a maior obra de saneamento do período colonial - os Arcos da Lapa.

No Parque do Flamengo o Rio Carioca se aflora na Estação de Tratamento de Rio, seguindo sob uma cobertura de ripas de madeira ecológica até a sua foz na Praia do Flamengo. O deck, denominado pelo Decreto 25045/2005 como Deck Lotta de Macedo Soares, foi incorporado ao Parque como uma nova área de lazer.

Saiba Mais

Sobre o Rio Carioca

Antigamente, esse rio de água pura e límpida, na região do bairro do Catete, em área da atual Praça José de Alencar, se dividia em dois braços originando um novo rio, o Rio Catete, que desembocava próximo à outrora praia do Russel, no antigo Saco da Glória, onde, após aterros, localiza-se atualmente a rua do Russel. Tempos depois ele foi aterrado, dando origem a atual Rua do Catete. Na confluência do Carioca e do Catete, em época de chuva formava-se uma lagoa cujo aterramento deu origem ao Largo do Machado.

Antes mesmo de existir a cidade, as águas do Carioca eram conhecidas. Em sua foz, na atual Praia do Flamengo, abasteciam-se de água potável os navios que por ali passavam. Por essa razão, naqueles tempos, a região era conhecida como Aguada dos Marinheiros.

Após a fundação da cidade, no istmo situado entre os morros Cara de Cão e o Pão de Açúcar, e sua posterior transferência para o Morro do Castelo, construiu-se neste uma ladeira em direção ao Rio Carioca, por ser esta a fonte mais próxima e acessível para o abastecimento de água.

Suas águas eram utilizadas diretamente para o consumo dos senhores de escravos, transportadas inicialmente pelos indígenas e posteriormente pelos negros, além de serem vendidas aos habitantes que não dispunham de escravos próprios. Surgiu assim a figura dos aguadeiros, o que pode ser considerado o primeiro serviço de água da cidade.

Os pontos de coleta de água foram subindo o curso do rio em consequência do avanço do processo de ocupação e poluição. Como esta era uma tarefa longa, dispendiosa e perigosa, aumentava a pressão dos moradores. Sucessivas reclamações pediam uma solução definitiva para o problema do abastecimento da cidade. Cresceu sua importância enquanto manancial com a construção do Aqueduto do Carioca com 6,6 Km, que permitiu o encaminhamento das águas até o Largo de Santo Antônio (atual Largo da Carioca) onde foi instalado, em 1723, o primeiro chafariz da cidade, com dezesseis bicas de bronze, o Chafariz da Carioca, vindo de Portugal.

Com o passar do tempo o aqueduto foi sendo substituído por encanamentos de ferro fundido, sendo raros os vestígios que dele perduram. Contudo, um deles, os Arcos da Lapa, continua firme até os dias de hoje, sendo, a partir de 1896, utilizado como viaduto para os bondes elétricos de Santa Teresa.

Atualmente, aquele rio de beleza inestimável, marco do nascimento da cidade, outrora fonte de água potável, com abundância de peixes, navegável em determinados trechos, encontra-se em lastimável estado de degradação. O lançamento de esgotos doméstico e industrial proveniente de ligações domiciliares irregulares na rede publica, além do incremento de resíduos sólidos, transformaram as antigas águas cristalinas em um “canal de esgoto”. O Rio Carioca encontra-se como a maioria dos pequenos e poucos rios existentes do Rio de Janeiro: agonizante ou sepultado sob os seus pavimentos.

Deck Lotta de Macedo Soares

O deck sobre o rio Carioca é uma cobertura de ripas de madeira ecológica de 2.700 m² que cobre toda a extensão do rio, desde a saída da Estação de Tratamento de Rio, ETR-Flamengo gerida pela Fundação Rio-Águas, até a sua foz na Praia do Flamengo. A cobertura de madeira não prejudica a manutenção do curso d’água, já que pode ser removida sempre que necessário.

O Decreto 25045/2005 que denomina o deck, faz uma justa homenagem a uma nova área de lazer que se incorpora ao Parque. Sua parte final conta com bancos e serve como ponto de observação privilegiada da Baía de Guanabara.

Localização: próximo ao Posto de Salvamento nº 3, da Praia do Flamengo.

 

Como Chegar

Esse site é uma iniciativa do Movimento #OCUPAPARQUE mantido pelo Instituto Lotta de Cultura e Recreação.

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque


Por um parque pra chamar de seu... Participe!

Poste suas fotos do Parque do Flamengo nas redes sociais usando a hashtag #OCUPAPARQUE

WhatsApp WhatsApp