Sanitários Públicos

Na planta tombada do Parque do Flamengo consta a existência de cinco conjuntos de sanitários públicos ao longo do parque, cada um deles composto de  um banheiro masculino e um feminino. Apesar de fazerem parte do projeto, eles não foram construídos de imediato, o que causou grande transtorno aos frequentadores que não tinham onde satisfazer suas necessidades fisiológicas. Para atender aos apelos da população que reclamava da ausência de banheiros na enorme área do parque, a SURSAN projetou e construiu quatro conjuntos de sanitários públicos.

Saiba Mais

Um localizado próximo ao Monumento aos Pracinhas, outro próximo à Marina da Glória e um em cada uma das três passagens subterrâneas. Contudo, o conjunto previsto para a passagem subterrânea da Av. Rui Barbosa não foi construído. Por conta disto o parque conta com quatro conjuntos de sanitários públicos com um total de oito banheiros. 

Apesar de concluídos em 1968, permaneceram fechados por um longo período, por dois motivos: aguardar a construção de estações elevatórias para o bombeamento dos efluentes, já que a rede local era mais baixa, o que aconteceu somente um ano depois, e por não haver pessoal para fazer sua manutenção e o controle de sua frequência.

Em 1969, a firma Ceres que já cuidava do parque, assinou contrato com a SURSAN para a exploração dos sanitários. O documento, que tinha validade de três anos, previa a cobrança de NCr$ 0,10 do usuário, podendo ser reajustado de acordo com o aumento do salário mínimo, sendo 20% da receita bruta mensal revertida para a autarquia. Após a abertura funcionaram por pouco tempo e foram novamente fechados por conta da depredação e da falta de pessoal para sua manutenção e fiscalização. Reabertos em 1974, após obras de recuperação, ainda hoje, a falta de pessoal para fazer a limpeza e a vigilância dos sanitários é o principal problema para o pleno funcionamento desses equipamentos que vivem abrindo e fechando. Além disso, a contínua depredação e roubo de peças por parte dos usuários continua a dificultar e desestimular a administração a adotar uma solução definitiva para o problema.

Obs: os Sanitários Públicos são os itens n° 7, 13 e 46 da relação anexa ao Processo n° 748-T-64, de Tombamento do Parque.

Localização: nas passagens subterrâneas em frente às ruas Dois de Dezembro e Tucumã, próximos ao Monumento aos Pracinhas e da Marina da Glória.

 

Referências

Periódicos

Flamengo: Roubo de material faz atrasar as obras. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 20/01/1967, pag. 3.

Parque do Flamengo terá urbanização concluída até fim do próximo ano. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 27/10/1968, pag. 5.

Novas pistas são inauguradas hoje na Avenida Brasil (Sanitários). Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 15/10/1969, pag. 10.

Ceres terá oito sanitários do Atêrro. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 13/10/1969, pag. 5.

Aterro vai ter banheiros com sabonetes e toalhas. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 26/09/1973, pag. 7.

Flamengo ainda sem sanitários. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 8/01/1973, pag. 5.

Sanitários de Aterro serão abertos em Abril. Diários de Notícia, Rio de Janeiro, 21/02/1976, pag. 7.

Prefeito sente o problema do banhista sem banheiro e manda estudar solução. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 28/01/1976, pag. 22.

WhatsApp WhatsApp