O Parque

Conheça o Complexo do Parque do Flamengo

branco_50x50

Idealizado por Lotta de Macedo Soares para ser o Central Park Tropical, o Parque do Flamengo foi o primeiro parque de lazer ativo do Brasil. Por ainda continuar inacabado, já que vários equipamentos previstos no projeto original tombado ainda não saíram do papel, nunca teve uma cerimônia oficial de inauguração. Durante sua construção, à medida que os equipamentos eram terminados, realizava-se uma cerimônia de entrega à população. Ao longo do tempo, as datas dessas cerimônias foram incorporadas como sendo as de inauguração do parque.

A mais difundida delas, foi 12 de outubro de 1965, por conta da festa do Dia da Criança. Contudo, a comemoração promovida pela Superintendência do IV Centenário, em 1965, aconteceu no dia 17, no encerramento da Semana da Criança, quando ocorreu a entrega, com a presença de Lotta, do Teatro de Fantoches e Marionetes. Segundo publicado à época, foi uma das maiores festas públicas realizadas na cidade nos últimos anos. Tudo era de graça, 30 mil crianças e um número muito maior de adultos, se divertiram durante todo o dia com as várias atrações programadas.

Devido à dimensão alcançada pela festa, o Instituto Lotta achou por bem estabelecer, informalmente, 17 de outubro de 1965, como o dia de inauguração do Parque do Flamengo, até que possamos inaugurá-lo, oficialmente, quando estiver totalmente concluído.

Entregue à cidade como Parque IV Centenário, foi inscrito na página 10, sob o nº 39, do Livro de Tombo Paisagístico do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 28 de julho de 1965, portanto, tombado, antes mesmo de inaugurado. Além da área do parque, o tombamento também incluiu o projeto elaborado por Reidy.

Seu projeto arquitetônico e urbanístico foi concebido por Affonso Eduardo Reidy, que também desenvolveu a maioria dos projetos arquitetônicos da programação recreativa elaborada por Ethel Bauzer Medeiros, especialista em recreação e lazer. O projeto paisagístico foi elaborado pelo Escritório Roberto Burle Marx e Arquitetos Associados,  contando com a participação do botânico Luiz Emygdio de Mello Filho, nas questões relativas à vegetação e ao solo. A iluminação foi assinada pelo  lighting designer americano Richard Kelly. Os estudos hidrográficos necessários à construção do enrocamento e da praia artificial do Flamengo, foram realizados pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil de Lisboa e a obra civil executada pela  Superintendência de Urbanização e Saneamento-SURSAN, sob a supervisão da engenheira Berta Leitchic.

Dos 1.251.244,20 m² de área total (aproximadamente 120 hectares), o Parque do Flamengo ocupa 930.000 m², sendo 330.000 m² de gramados e os restantes 321.244,20 m² são relativos às pistas de alta velocidade, rótulas e seus entornos. Localizado entre o Aeroporto Santos Dumont e a Praia de Botafogo, ele é o maior parque urbano do mundo à beira mar e Patrimônio Mundial da Humanidade na categoria “Paisagem Cultural Urbana”, título concedido pela UNESCO, no ano de 2012. É a maior área de lazer ao ar livre da cidade e oferece equipamentos variados para a prática de esportes, recreação, cultura, gastronomia e entretenimento.

Planejado para ser um parque vivo, onde você se diverte educando e educa divertindo, ele não é apenas um imenso jardim onde você pode contemplar variada flora, fauna e a bela paisagem da Baía de Guanabara. Aqui você dispõe de campos de pelada (8); pistas de skate, patinação, BMX e aeromodelismo; tanque de nautimodelismo; ciclovia; quadras de basquete, vôlei, power soccer, futsal, tênis, gateball; playground, cidade das crianças, parkour, postos de salvamento e praia. Encontra, ainda, Museu de Arte Moderna, Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, Marina da Glória, Teatro de Marionetes, Teatro de Arena, Coreto, Pavilhões Recreativos, Monumento a Estácio de Sá, quiosques de alimentação, e os restaurantes Laguiole, Corrientes 348, SOHO, Emporio Rio, Maruru Deli, Angus Rio’s e o popular NaMarina.

A partir de 1988,  o Parque do Flamengo passou a ser oficialmente designado de Parque Brigadeiro Eduardo Gomes, entre o Aeroporto Santos Dumont e o Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, e de Parque Carlos Lacerda, o trecho que vai do Monumento ao final na zona sul, por força da Lei nº 1.219, de 11 de abril de 1988.

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro, através da Lei nº 2.287, de 04 de janeiro de 1995, tombou o Parque do Flamengo e, ao mesmo tempo, prolongou-o até o final dos jardins situados ao longo da Praia de Botafogo. Portanto, a extensão do parque, atualmente, é de aproximadamente 2.000.000 m².

Seus imensos gramados são o local perfeito para a realização de piqueniques com toda a família e amigos. Venha aproveitar tudo isso, ocupe o parque, ele é seu.

“O Parque do Flamengo foi projetado de maneira ambiciosa. Nobre ambição, ato de amor, tentar melhorar as condições de habitabilidade de uma cidade, criando um parque novo, organismo vivo, feito para o homem e na medida dele”. (Lotta de Macedo Soares)

Saiba mais sobre a Construção do Parque do Flamengo