Atividades e Eventos

O luxo e o requinte no Réveillon do MAM. Show, gastronomia e muita alegria. Feliz 2017!

publicado por: Fernando Nascimento em

Réveillon Cidade Maravilhosa

Luxo e Requinte para um Feliz 2017!!!


É o tradicional e badalado Réveillon no MAM, onde pessoas pra lá de interessantes, vinda dos quatro cantos do Brasil e de outros países, se encontram para curtir, de forma única, a melhor festa de Réveillon do planeta.

Cenografia futurista, moderna, tecnologia com projeções em plasma e uma super produção pirotécnica que garantirão o Réveillon mais agitado do Rio de Janeiro.

Com Samba, Eclético, Funk e gente bonita, você terá as melhores atrações e muita animação, “food and drinks” no melhor estilo all inclusive (à vontade e da melhor qualidade), ambiente único, charmoso e requintado, com muito conforto e uma vista deslumbrante para a queima de fogos da Praia do Flamengo.

Em todas as edições anteriores sucesso de público e ingressos esgotados!

Atrações

Carrossel de Emoções
Giordanna Forte
Dj Gagau Dieckmann
Pense em Mim
Dj Rodrigo Loyola

A comodidade do sistema “all inclusive”, onde a pessoa pode comer e beber à vontade, do bom e do melhor!

Tem para todos os gostos, em charmosos pontos estratégicos ou na área do buffet, onde são servidos terrines, mini sandwiches, estação de massas e café da manhã. E para beber? Tem água, cerveja, refrigerante, whisky, vodka, energético, espumante e muito mais…

O conforto de um ambiente temático climatizado, decorado sob medida com mobiliário, lounges, ornamentos e muito verde que expressam o encontro do sofisticado com o artesanal.

A tranqüilidade de poder contar com um forte esquema de segurança e com uma enfermaria equipada com aparelhos modernos e uma UTI móvel.

Valet com Manobrista (terceirizado e Opcional)

O Buffet é assinado por Laguiole – Alta Gastronomia.

branco_50x50

Esperou o ano inteiro para o reveillon mais famoso do Brasil? Pode comemorar! Os ingressos do Reveillon no MAM já estão a venda! Garanta o seu:

Compre aqui o seu ingresso!

branco_50x50

 

Saiba mais sobre o Elemento Arquitetônico do
Museu de Arte Moderna

branco_50x50

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque

Por um parque pra chamar de seu…
Participe!

branco_50x50

reveillon_2017_mam_14

reveillon_2017_mam_15

reveillon_2017_mam_16

Terça(19) a Festa Sambar & Love recebe o show de Mart’nália, na varanda do Vivo Rio.

publicado por: Fernando Nascimento em

Mart’nália

Festa Sambar & Love


No dia 19 de janeiro às 22h o Vivo Rio recebe mais uma edição da festa Sambar & Love. Desta vez o evento vai contar com a apresentação da cantora Mart’nália com seu novo show “Misturado”, além do grupo Horto Samba, já residente na festa. Os DJs Cyro e Bahruth tocam nos intervalos.

A ideia da festa veio do intuito de reunir as diferentes famílias do samba em um único lugar. Grandes nomes da música já fizeram parte dessa história com apresentações inesquecíveis: Almir Guineto, Nelson Sargento, Leandro Sapucahy, Rogê, Fica Comigo, Samba de Santa Clara, Rodrigo Lampreia, Vem no Pai, Galocantô, Moyseis Marques, Margarida Maria e Roberta Espinosa, são alguns deles. Em sua última edição, a festa comemorou 5 anos. A comemoração contou com shows do Fogo e Paixão, o grupo Horto Samba e DJs.

O show “Misturado” surgiu após muitos anos de carreira por causa de sua trajetória dentro da música brasileira. Mart’nália, que nasceu no samba, nunca se apegou só a esse estilo musical, canta pop, rock, xote e por ai vai. Cresceu ouvindo de tudo um pouco, misturando ritmos e batidas, o que resultou em sua identidade musical única, misturada.

Mart’nália é filha do grande cantor brasileiro Martinho da Vila. Desde criança já frequentava as rodas de samba da Vila Isabel com pai e daí começou sua história de amor com a música. Nesse reduto musical ela aprendeu a cantar, sambar e tocar violão e pandeiro. Atualmente ela já tem 10 álbuns lançados e 4 DVDs. Sua música já passou por todo Brasil, alguns países da África e também pela Alemanha.

  • Meia entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos.
  • Desconto Solidário (Desconto de 50% sobre o valor da inteira) mediante a entrega de 1 Kg de alimento não-perecível no dia do evento, mesmo que o ingresso tenha sido comprado antecipadamente. Os alimentos arrecadados serão doados para a Sociedade Viva Cazuza.
  • Classificação: 18 anos

branco_50x50

Saiba mais sobre o Elemento Arquitetônico do
Museu de Arte Moderna

branco_50x50

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque

Por um parque pra chamar de seu…
Participe!

branco_50x50

vivorio_sambar-love-festa-com-roda-de-samba-com-martnalia_12

A Cinemateca do MAM propõe um VERÃO MUSICAL para você. Veja aqui a programação semanal de musicais incríveis.

publicado por: Fernando Nascimento em

VERÃO MUSICAL

Músicos, Música e Musicais


A Cinemateca do MAM propõe uma pequena viagem musical para o verão de 2016. Celebrando os clássicos, compartilha visões críticas, proporciona descobertas e busca mais uma vez usar o poder mágico dos musicais para alegrar a vida e os corações, ao passo de Astaire, da voz de Grace Chang, das composições de Jobim, Vinícius e Chico Buarque, da coreografia de Khan, da trilha de Weill, do desenho de som de Pathak e da maestria de movimentos de um Minnelli, entre tantos outros artistas presentes. Tudo ao som de tango, rumba, mambo, blues, fox, bolero, samba, polca, fado, rock, reggae e muito mais.

PROGRAMAÇÃO

ter 12

18h – Cláudio Botelho & Seus Convidados. Apresentação do diretor, compositor, músico, libretista e letrista, homenageando o musical clássico hollywoodiano. Classificação indicativa Livre.

18h30 – A roda da fortuna (The band wagon), de Vincente Minnelli. EUA, 1953. Com Fred Astaire e CydCharisse. 112’. Legendas em português. Exibição em blu-ray. Classificação indicativa Livre.

cinemateca_veraomusical_14

qua 13

16h30 – O picolino (Top hat), de Mark Sandrich. EUA, 1935. Com Fred Astaire e Ginger Rogers. 101’. Legendas em português. Exibição em MP4. Classificação indicativa Livre.

18h30 – Desfile de Páscoa (Easter parade), de Charles Walter. EUA, 1948. Com Judy Garland e Fred Astaire. 107’. Legendas em português. Exibição em MP4. Classificação indicativa Livre.

qui 14

16h30 – Cantando na chuva (Singin’in the rain), de Stanley Donen e Gene Kelly. EUA, 1952. Com Gene Kelly, Donald O’Connor e Debbie Reynolds. 103’. Legendas em português. Exibição em blu-ray. Classificação indicativa Livre.

cinemateca_veraomusical_13

18h30 – Um americano em Paris (An american in Paris), de Vincente Minnelli. EUA, 1951. Com Gene Kelly e Leslie Caron. 113’. Legendas em português. Exibição em blu-ray. Classificação indicativa Livre.

sex 15

16h20 – Cabaret de Bob Fosse. EUA, 1972. Com Liza Minnelli e Michael York. 124’. Legendas em português. Exibição em 16mm. Classificação indicativa 14 anos.

18h30 – New York, New York, de Martin Scorsese. EUA, 1977. Com Liza Minnelli e Robert De Niro. 155’. Legendas em português. Exibição em blu-ray. Classificação indicativa 14 anos.

cinemateca_veraomusical_12

sab16

14h – Vamos todos dançar (Mad hot ballroom), de Marilyn Agrelo. EUA, 2005. Documentário. 105’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre.

16h – A viúva alegre (The merry widow), de Ernst Lubitsch.EUA, 1934. Com JeannetteMacDonald e Maurice Chevalier. 99’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 10 anos.

18h – Gigi, de Vicente Minnelli. EUA, 1958. Com Leslie Caron, Maurice Chevalier e Louis Jourdan. Legendas em português, 115’. Exibição em blu-ray. Classificação indicativa 10 anos.

dom 17

14h – Música e fantasia (Allegro non troppo), de Bruno Bozzeto. Itália, 1977. Animação com as vozes de Marialuisa Giovannini e MaurizioNichetti. 85’. Legendas em português. Exibição em MP4. Classificação indicativa Livre.

16h – Nasce uma estrela (A star is born), de George Cukor. EUA, 1954. Com Judy Garland e James Mason. Versão restaurada em 2010. 176’. Legendas em espanhol. Exibição em blu-ray. Classificação indicativa 10 anos.

19h – A noviça rebelde (The sound of music), de Robert Wise. EUA, 1965. Com Julie Andrews e Christopher Plummer. Legendas eletrônicas em português, 174’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre.

cinemateca_veraomusical_11

branco_50x50

Saiba mais sobre o Elemento Arquitetônico do
Museu de Arte Moderna

branco_50x50

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque

Por um parque pra chamar de seu…
Participe!

branco_50x50

O luxo e o requinte no Réveillon do MAM. Show, gastronomia e muita alegria. Feliz 2016!

publicado por: Fernando Nascimento em

Réveillon Cidade Maravilhosa

Luxo e Requinte para um Feliz 2016!!!


É o tradicional e badalado Réveillon no MAM, onde pessoas pra lá de interessantes, vinda dos quatro cantos do Brasil e de outros países, se encontram para curtir, de forma única, a melhor festa de Réveillon do planeta.

Cenografia futurista, moderna, tecnologia com projeções em plasma e uma super produção pirotécnica que garantirão o Réveillon mais agitado do Rio de Janeiro.

Com Samba, Eclético, Funk e gente bonita, você terá as melhores atrações e muita animação, “food and drinks” no melhor estilo all inclusive (à vontade e da melhor qualidade), ambiente único, charmoso e requintado, com muito conforto e uma vista deslumbrante para a queima de fogos da Praia do Flamengo.

Em todas as edições anteriores sucesso de público e ingressos esgotados!

Atrações

Carrossel de Emoções
Primeiro Amor – Samba Retrô
Sany Pitbull
Dj Tartaruga
Dj Gagau Dieckman
Dj Rodrigo loyola

A comodidade do sistema “all inclusive”, onde a pessoa pode comer e beber à vontade, do bom e do melhor!

Tem para todos os gostos, em charmosos pontos estratégicos ou na área do buffet, onde são servidos terrines, mini sandwiches, estação de massas e café da manhã. E para beber? Tem água, cerveja, refrigerante, whisky, vodka, energético, espumante e muito mais…

O conforto de um ambiente temático climatizado, decorado sob medida com mobiliário, lounges, ornamentos e muito verde que expressam o encontro do sofisticado com o artesanal.

A tranqüilidade de poder contar com um forte esquema de segurança e com uma enfermaria equipada com aparelhos modernos e uma UTI móvel.

Valet com Manobrista (terceirizado e Opcional)

O Buffet é assinado por Laguiole – Alta Gastronomia.

Preços

Ingresso – 3° Lote – Unitário: R$550
Ingresso – 3° Lote – Combo Quádruplo: R$1900
Ingresso – 3° Lote – Combo Duplo: R$1000
Camarote Premium – Duplo: R$1500
Camarote Premium – Quádruplo: R$2800
Camarote Premium – Unitário: R$800

Mais informações: (21) 2240-4944

 Facebook: https://www.facebook.com/events/851989108248168/

branco_50x50

Saiba mais sobre o Elemento Arquitetônico do
Museu de Arte Moderna

branco_50x50

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque

Por um parque pra chamar de seu…
Participe!

branco_50x50

mam_reveillon_11

mam_reveillon_12

Quarta(30) a dica é visitar as exposições do Museu de Arte Moderna. Aproveite que hoje a entrada é franca.

publicado por: Fernando Nascimento em

Museu de Arte Moderna

Exposições com Entrada Franqueada


Toda quarta-feira, das 15 às 18 horas, você pode visitar as exposições do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro sem pagar nada. Venha construir histórias, participar de processos experimentais, fazer interrogações temáticas em diálogos culturais ou simplesmente se sentir especial em projetos feitos para você.

O museu foi criado em 1948 a partir de duas preocupações norteadoras: ser um espaço de acolhimento da experimentação de vanguarda e um lugar de formação, de pesquisa, e de produção de conhecimento. As exposições temporárias buscam refletir esta missão inaugural a partir de quatro eixos conceituais. 

O MAM Rio abriga três coleções em seu acervo. A do próprio museu e dois comodatos (Gilberto Chateaubriand e Joaquim Paiva). Ao todo são quase dezesseis mil obras. A exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – procura construir uma narrativa da arte brasileira a partir dos anos 1920 através de quatro eixos temáticos que se articulam e complementam. Saindo de uma abordagem cronológica, procura integrar a produção moderna e a contemporânea tendo em vista questões que as perpassariam não obstante seus modos distintos de enfrentamento. As questões da identidade, da sociabilidade, do corpo e da vontade construtiva foram mobilizando processos de formalização e estratégias poéticas desde Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti até Cildo Meireles, Waltercio Caldas, Nelson Leirner entre outros. 

Além da exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – você ainda poderá contemplar entre as exposições temporárias:

OPINIÃO 65 – 50 ANOS DEPOIS

Até 28 de fevereiro de 2016

Em um contexto político e socialmente conturbado, no ano seguinte ao golpe militar, Ceres Franco e Jean Boghici prepararam uma grande exposição que reunia artistas brasileiros e estrangeiros – argentinos e europeus – trazendo à tona um conjunto de obras que apontava para a disseminação global de uma nova tendência realista nas artes. O título da exposição Opinião 65 revelava o caráter pluralista da mostra e uma vontade de dar voz a uma juventude que assumia, pela primeira vez na história, um papel protagonista à frente dos acontecimentos.

IOLE DE FREITAS – O PESO DE CADA UM

Até 17 de janeiro de 2016

A exposição “O peso de cada um” representa uma guinada na obra que Iole de Freitas vinha desenvolvendo até o início de 2014. Às placas de policarbonato anteriores a artista substitui lâminas de aço inoxidável, cuja resistência é maior e a maleabilidade, difícil, exigindo torções mais intensas e cálculos cirúrgicos de engenharia, justo em função da rigidez e do peso do material.

branco_50x50

Saiba mais sobre o Elemento Arquitetônico do
Museu de Arte Moderna

branco_50x50

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque

Por um parque pra chamar de seu…
Participe!

branco_50x50

Quarta(23) a dica é visitar as exposições do Museu de Arte Moderna. Aproveite que hoje a entrada é franca.

publicado por: Fernando Nascimento em

Museu de Arte Moderna

Exposições com Entrada Franqueada


Toda quarta-feira, das 15 às 18 horas, você pode visitar as exposições do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro sem pagar nada. Venha construir histórias, participar de processos experimentais, fazer interrogações temáticas em diálogos culturais ou simplesmente se sentir especial em projetos feitos para você.

O museu foi criado em 1948 a partir de duas preocupações norteadoras: ser um espaço de acolhimento da experimentação de vanguarda e um lugar de formação, de pesquisa, e de produção de conhecimento. As exposições temporárias buscam refletir esta missão inaugural a partir de quatro eixos conceituais. 

O MAM Rio abriga três coleções em seu acervo. A do próprio museu e dois comodatos (Gilberto Chateaubriand e Joaquim Paiva). Ao todo são quase dezesseis mil obras. A exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – procura construir uma narrativa da arte brasileira a partir dos anos 1920 através de quatro eixos temáticos que se articulam e complementam. Saindo de uma abordagem cronológica, procura integrar a produção moderna e a contemporânea tendo em vista questões que as perpassariam não obstante seus modos distintos de enfrentamento. As questões da identidade, da sociabilidade, do corpo e da vontade construtiva foram mobilizando processos de formalização e estratégias poéticas desde Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti até Cildo Meireles, Waltercio Caldas, Nelson Leirner entre outros. 

Além da exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – você ainda poderá contemplar entre as exposições temporárias:

OPINIÃO 65 – 50 ANOS DEPOIS

Até 28 de fevereiro de 2016

Em um contexto político e socialmente conturbado, no ano seguinte ao golpe militar, Ceres Franco e Jean Boghici prepararam uma grande exposição que reunia artistas brasileiros e estrangeiros – argentinos e europeus – trazendo à tona um conjunto de obras que apontava para a disseminação global de uma nova tendência realista nas artes. O título da exposição Opinião 65 revelava o caráter pluralista da mostra e uma vontade de dar voz a uma juventude que assumia, pela primeira vez na história, um papel protagonista à frente dos acontecimentos.

IOLE DE FREITAS – O PESO DE CADA UM

Até 17 de janeiro de 2016

A exposição “O peso de cada um” representa uma guinada na obra que Iole de Freitas vinha desenvolvendo até o início de 2014. Às placas de policarbonato anteriores a artista substitui lâminas de aço inoxidável, cuja resistência é maior e a maleabilidade, difícil, exigindo torções mais intensas e cálculos cirúrgicos de engenharia, justo em função da rigidez e do peso do material.

branco_50x50

Saiba mais sobre o Elemento Arquitetônico do
Museu de Arte Moderna

branco_50x50

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque

Por um parque pra chamar de seu…
Participe!

branco_50x50

Quarta(16) a dica é visitar as exposições do Museu de Arte Moderna. Aproveite que hoje a entrada é franca.

publicado por: Fernando Nascimento em

Museu de Arte Moderna

Exposições com Entrada Franqueada


Toda quarta-feira, das 15 às 18 horas, você pode visitar as exposições do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro sem pagar nada. Venha construir histórias, participar de processos experimentais, fazer interrogações temáticas em diálogos culturais ou simplesmente se sentir especial em projetos feitos para você.

O museu foi criado em 1948 a partir de duas preocupações norteadoras: ser um espaço de acolhimento da experimentação de vanguarda e um lugar de formação, de pesquisa, e de produção de conhecimento. As exposições temporárias buscam refletir esta missão inaugural a partir de quatro eixos conceituais. 

O MAM Rio abriga três coleções em seu acervo. A do próprio museu e dois comodatos (Gilberto Chateaubriand e Joaquim Paiva). Ao todo são quase dezesseis mil obras. A exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – procura construir uma narrativa da arte brasileira a partir dos anos 1920 através de quatro eixos temáticos que se articulam e complementam. Saindo de uma abordagem cronológica, procura integrar a produção moderna e a contemporânea tendo em vista questões que as perpassariam não obstante seus modos distintos de enfrentamento. As questões da identidade, da sociabilidade, do corpo e da vontade construtiva foram mobilizando processos de formalização e estratégias poéticas desde Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti até Cildo Meireles, Waltercio Caldas, Nelson Leirner entre outros. 

Além da exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – você ainda poderá contemplar entre as exposições temporárias:

OPINIÃO 65 – 50 ANOS DEPOIS

Até 28 de fevereiro de 2016

Em um contexto político e socialmente conturbado, no ano seguinte ao golpe militar, Ceres Franco e Jean Boghici prepararam uma grande exposição que reunia artistas brasileiros e estrangeiros – argentinos e europeus – trazendo à tona um conjunto de obras que apontava para a disseminação global de uma nova tendência realista nas artes. O título da exposição Opinião 65 revelava o caráter pluralista da mostra e uma vontade de dar voz a uma juventude que assumia, pela primeira vez na história, um papel protagonista à frente dos acontecimentos.

IOLE DE FREITAS – O PESO DE CADA UM

Até 17 de janeiro de 2016

A exposição “O peso de cada um” representa uma guinada na obra que Iole de Freitas vinha desenvolvendo até o início de 2014. Às placas de policarbonato anteriores a artista substitui lâminas de aço inoxidável, cuja resistência é maior e a maleabilidade, difícil, exigindo torções mais intensas e cálculos cirúrgicos de engenharia, justo em função da rigidez e do peso do material.

branco_50x50

Saiba mais sobre o Elemento Arquitetônico do
Museu de Arte Moderna

branco_50x50

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque

Por um parque pra chamar de seu…
Participe!

branco_50x50

Quarta(9) a dica é visitar as exposições do Museu de Arte Moderna. Aproveite que hoje a entrada é franca.

publicado por: Fernando Nascimento em

Museu de Arte Moderna

Exposições com Entrada Franqueada


Toda quarta-feira, das 15 às 18 horas, você pode visitar as exposições do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro sem pagar nada. Venha construir histórias, participar de processos experimentais, fazer interrogações temáticas em diálogos culturais ou simplesmente se sentir especial em projetos feitos para você.

O museu foi criado em 1948 a partir de duas preocupações norteadoras: ser um espaço de acolhimento da experimentação de vanguarda e um lugar de formação, de pesquisa, e de produção de conhecimento. As exposições temporárias buscam refletir esta missão inaugural a partir de quatro eixos conceituais. 

O MAM Rio abriga três coleções em seu acervo. A do próprio museu e dois comodatos (Gilberto Chateaubriand e Joaquim Paiva). Ao todo são quase dezesseis mil obras. A exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – procura construir uma narrativa da arte brasileira a partir dos anos 1920 através de quatro eixos temáticos que se articulam e complementam. Saindo de uma abordagem cronológica, procura integrar a produção moderna e a contemporânea tendo em vista questões que as perpassariam não obstante seus modos distintos de enfrentamento. As questões da identidade, da sociabilidade, do corpo e da vontade construtiva foram mobilizando processos de formalização e estratégias poéticas desde Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti até Cildo Meireles, Waltercio Caldas, Nelson Leirner entre outros. 

Além da exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – você ainda poderá contemplar entre as exposições temporárias:

OPINIÃO 65 – 50 ANOS DEPOIS

Até 28 de fevereiro de 2016

Em um contexto político e socialmente conturbado, no ano seguinte ao golpe militar, Ceres Franco e Jean Boghici prepararam uma grande exposição que reunia artistas brasileiros e estrangeiros – argentinos e europeus – trazendo à tona um conjunto de obras que apontava para a disseminação global de uma nova tendência realista nas artes. O título da exposição Opinião 65 revelava o caráter pluralista da mostra e uma vontade de dar voz a uma juventude que assumia, pela primeira vez na história, um papel protagonista à frente dos acontecimentos.

IOLE DE FREITAS – O PESO DE CADA UM

Até 17 de janeiro de 2016

A exposição “O peso de cada um” representa uma guinada na obra que Iole de Freitas vinha desenvolvendo até o início de 2014. Às placas de policarbonato anteriores a artista substitui lâminas de aço inoxidável, cuja resistência é maior e a maleabilidade, difícil, exigindo torções mais intensas e cálculos cirúrgicos de engenharia, justo em função da rigidez e do peso do material.

branco_50x50

Saiba mais sobre o Elemento Arquitetônico do
Museu de Arte Moderna

branco_50x50

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque

Por um parque pra chamar de seu…
Participe!

branco_50x50

Quarta(2) a dica é visitar as exposições do Museu de Arte Moderna. Aproveite que hoje a entrada é franca.

publicado por: Fernando Nascimento em

Museu de Arte Moderna

Exposições com Entrada Franqueada


Toda quarta-feira, das 15 às 18 horas, você pode visitar as exposições do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro sem pagar nada. Venha construir histórias, participar de processos experimentais, fazer interrogações temáticas em diálogos culturais ou simplesmente se sentir especial em projetos feitos para você.

O museu foi criado em 1948 a partir de duas preocupações norteadoras: ser um espaço de acolhimento da experimentação de vanguarda e um lugar de formação, de pesquisa, e de produção de conhecimento. As exposições temporárias buscam refletir esta missão inaugural a partir de quatro eixos conceituais. 

O MAM Rio abriga três coleções em seu acervo. A do próprio museu e dois comodatos (Gilberto Chateaubriand e Joaquim Paiva). Ao todo são quase dezesseis mil obras. A exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – procura construir uma narrativa da arte brasileira a partir dos anos 1920 através de quatro eixos temáticos que se articulam e complementam. Saindo de uma abordagem cronológica, procura integrar a produção moderna e a contemporânea tendo em vista questões que as perpassariam não obstante seus modos distintos de enfrentamento. As questões da identidade, da sociabilidade, do corpo e da vontade construtiva foram mobilizando processos de formalização e estratégias poéticas desde Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti até Cildo Meireles, Waltercio Caldas, Nelson Leirner entre outros. 

Além da exposição permanente – Genealogias do Contemporâneo – você ainda poderá contemplar entre as exposições temporárias:

OPINIÃO 65 – 50 ANOS DEPOIS

Até 28 de fevereiro de 2016

Em um contexto político e socialmente conturbado, no ano seguinte ao golpe militar, Ceres Franco e Jean Boghici prepararam uma grande exposição que reunia artistas brasileiros e estrangeiros – argentinos e europeus – trazendo à tona um conjunto de obras que apontava para a disseminação global de uma nova tendência realista nas artes. O título da exposição Opinião 65 revelava o caráter pluralista da mostra e uma vontade de dar voz a uma juventude que assumia, pela primeira vez na história, um papel protagonista à frente dos acontecimentos.

IOLE DE FREITAS – O PESO DE CADA UM

Até 17 de janeiro de 2016

A exposição “O peso de cada um” representa uma guinada na obra que Iole de Freitas vinha desenvolvendo até o início de 2014. Às placas de policarbonato anteriores a artista substitui lâminas de aço inoxidável, cuja resistência é maior e a maleabilidade, difícil, exigindo torções mais intensas e cálculos cirúrgicos de engenharia, justo em função da rigidez e do peso do material.

branco_50x50

Saiba mais sobre o Elemento Arquitetônico do
Museu de Arte Moderna

branco_50x50

Aproveite melhor as suas horas de lazer,
vivencie o Parque do Flamengo.

logoocupaparque

Por um parque pra chamar de seu…
Participe!

branco_50x50

WhatsApp WhatsApp